Cidades Polícia

Funcionária do Banco do Brasil é presa por passar dados de clientes para golpistas

Uma operação realizada pela Equipe da Delegacia de Defraudações, na manhã de segunda feira (13), no município de Montanha, no interior do Espírito Santo. Colocou na cadeia um advogado e uma funcionária de uma agência bancária da cidade.

De acordo com informações a operação contou com o apoio de policiais do Departamento Especializado de Investigações Criminais. Ao todo, cinco mandados de prisão foram cumpridos.

Entre os detidos estão Gizelle Lima Lopes Brito, que é funcionária de uma agência e o advogado Gláucio Espíndola Gonçalves. Os outros três, segundo a polícia, são golpistas. Eles foram identificados como Agrimal Alves Pereira, Samir Lima Damasceno e Deivid Manhães Rogério.

Segundo a polícia, os suspeitos fazem parte de uma quadrilha que aplica golpes na Grande Vitória e no norte do Espírito Santo. Ainda não se sabe qual tipo de golpe era realizado e nem se há mais pessoas envolvidas no esquema.

Até o momento, foi confirmado pela polícia que a funcionária do banco tinha uma participação importante na organização criminosa. a suspeita repassava informações privilegiadas de contas milionárias para os golpistas.

As prisões aconteceram em Vitória, Serra, Fundão e Montanha. Na manhã desta terça-feira, o esposo de Gizelle e uma advogada estiveram na Divisão Patrimonial, em Vitória, para acompanhar o local onde a mulher havia sido transferida.

O marido dela preferiu não gravar entrevista. Mas confirmou que a esposa foi detida dentro da agência aonde trabalhava em Montanha, por volta das 10h da segunda-feira. Gizelle é funcionária do banco há muitos anos. Fundou a Associação Atlética da empresa em 1977.

A bancária e o advogado, até o final da manhã desta terça-feira, permaneceram na delegacia de Vitória. Agrimal, Samir e Deivid já foram encaminhados ao presídio de Viana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.