Cidades

Faleceu na tarde desta quinta-feira Padre Orlando Rodrigues

Padre Orlando Rodrigues tinha 73 anos, estava internado em um hospital de Colatina desde o dia 22 de maio. Ele era Vigário da Paróquia Imaculado Coração de Maria de São Silvano em Colatina.

A seguir temos um texto de Padre Orlando, escrito em 2015, onde ele fala um pouco de sua história e vocação em ser Padre.

NASCIDO PARA EVANGELIZAR – A VOCAÇÃO PODE VIR DE BERÇO
O testemunho de meus irmãos e irmãs é que desde que comecei a andar e falar, eu só pensava em coisas que se referiam à igreja, a santos, padres e procissões. Desde muito pequeno, na roça, jogava milho para as galinhas e levava-as em procissão para o galinheiro, onde fazia minhas pregações, essa procissão eu, que era o mais novo, fazia cantando e meus irmãos e irmãs seguiam.

Mais à frente, bem antes de entrar para o seminário, eu reproduzia em casa o que via na igreja, colocava um saco de buscar ração na roça enrolado na cintura e fingia que era batina, batia em uma enxada chamando o povo pra missa (o sino), cortava banana em rodinhas e dava comunhão (como não tinha ninguém pra comungar eu mesmo comungava), via o padre consagrando o pão e vinho e achava que tinha água no cálice, então colocava água na canequinha para molhar a rodela de banana. Aos poucos alguns coleguinhas começavam a se aproximar e eu dava comunhão a eles de rodinha de banana e água.

Todos perguntam sobre o momento em que se é tocado, chamado à vida religiosa, mas no meu caso, foi algo permanente, tanto, que eu vim morar aqui com padre Fulgêncio com o objetivo de ir para o seminário. Eu comecei indo morar com o padre Luiz lima, que era Pároco em Pancas e cuidava também da Paróquia de São Domingos naquela época. Morei ali por uns 4 ou 5 meses, então ele teve que voltar para a sua terra no nordeste e eu fiquei aos cuidados de sua irmã que era professora.

Logo após, ela foi transferida para Marilândia e eu fui junto. Lá, ela ouviu dizer que o padre Fulgêncio, aqui de São Silvano, precisava de um menino para ser coroinha e morar na casa paroquial (naquele tempo era bastante difícil encontrar coroinhas pra certos horários de missa, principalmente de manhã (6:30 da manhã), e assim, eu vim morar com Padre Fulgêncio e Padre Mariano. Depois, Padre Fulgêncio foi transferido pra Barra de São Francisco, ficando o padre Mariano. Durante esse tempo estudei na Escola Carolina Pichler, onde terminei o ensino básico e o padre Fernandinho (Fernando Vitalli) pôde me levar para um seminário em Osasco, São Paulo, depois de Osasco SP, fiz noviciado em Colombo PR e em seguida estudei filosofia e teologia em Curitiba, onde me ordenei em 1970.

A partir daí, passei os dois primeiros anos como padre em Barra de São Francisco, vindo depois para Colatina, onde fiquei por quatro anos, voltei à Barra de São Francisco por mais oito anos, posteriormente, retornei a Colatina onde fiquei por mais oito anos, após isto fiquei ainda em Paul, Vila Velha onde permaneci por três anos, estive também em Jardim América e fui pároco em Água Doce do Norte por dois anos, por fim, estou aqui em Colatina a cerca de 12 anos onde o amor ao serviço e por esta comunidade se confundem.
Pe. Orlando Rodrigues, CP

Padre Orlando será velado na Matriz de São Silvano, a partir das 18:30h, dessa quinta-feira (30/05)
Haverá missa às 19h e também às 21h, essa será presidida pelo Bispo Dom Wladimir, o velório vai até às 0h. A Igreja será reaberta às 6h, haverá missa às 7h.
A missa exequial será às 15h e logo a seguir teremos o sepultamento do Corpo no túmulo dos padres passionistas, na Igreja Matriz de São Silvano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.