Cultura Educação

Detentos de Cachoeiro tocam “Tempo Perdido”

As imagens mostram parte dos reclusos do Projeto Nova Canção, ofertado pelo CDP há cerca de dois anos, tocando “Tempo Perdido”, de Renato Russo.

Música é usada como forma de ressocialização no Centro de Detenção Provisória(CDP) de Cachoeiro de Itapemirim

Usar a música como instrumento de transformação e ressocialização de detentos foi a inspiração do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim para implantar o projeto Nova Canção, que atualmente oferece aulas de violão para 48 internos da unidade prisional. Concebido há pouco menos de dois anos, o projeto trabalha a musicalidade e o trabalho em equipe para aproximar ainda mais servidores e internos. A religiosidade por meio da música é outro ponto desenvolvido com o grupo, que participa de aulas semanais. Desde o período que foi implantado, mais de 400 internos da unidade prisional aprenderam as técnicas necessárias para tocar violão.

O inspetor penitenciário Wallace Ferreira conduz os trabalhos com os internos. As aulas têm o auxílio de três monitores que cumprem pena na unidade prisional. Eles são responsáveis por transmitir o aprendizado, o que inclui a apresentação das partituras, das notas musicais, ritmos, dedilhamento e toque. As aulas de violão acontecem em um espaço reservado. Os equipamentos utilizados no projeto foram adquiridos por meio de doações.

“Além de aprender a tocar violão, o projeto busca apresentar para o interno uma nova realidade. Presos que muitas vezes apresentavam problemas de disciplina mudaram por completo sua forma de agir após entrar para o Nova Canção. O desempenho ao longo das aulas resulta em apresentações dentro da unidade, que os alunos fazem para suas famílias, ou em encontros religiosos. A música faz com que eles e seus familiares tenham uma nova visão da vida e da unidade prisional. Com o projeto efetivamos também, de uma forma mais humana, a transformação de cada um”, explica Wallace Ferreira.

Wanderson Nunes está há um ano e dois meses no projeto. Com os conhecimentos adquiridos, hoje ele atua como monitor e multiplica a técnica com os alunos. Para ele, a música faz toda a diferença. “Com o projeto hoje me sinto mais disciplinado, respeito mais as regras e sei que sirvo de exemplo para muitos. Posso dizer que o Nova Canção mudou a minha vida não só dentro do sistema, mas mudou tudo. Entrei como aluno, virei monitor e tenho servido de exemplo para muitos. Hoje estou mais tranquilo, com mais serenidade”, diz.

Para o diretor do CDP de Cachoeiro, Ivan Lopes, que concebeu o projeto Nova Canção, a música transforma as pessoas. “Temos percebido o quanto a música favorece a transformação dos internos. Muitos já mudaram de comportamento, passaram a ter mais disciplina e a acreditar que é possível mudar a realidade por mérito e trabalho. Com isso, conseguimos melhorar nosso relacionamento, fazer com que eles se aproximem mais de suas famílias e tenham uma nova visão de que a ressocialização é possível”, destaca Ivan.

Foto: Reprodução

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.